[Resenha] Amy & Matthew, de Cammie McGovern @Galera Record

  • 15:44
  • 10 abril 2016
  • Título: Amy e Mattew
    Autor: Cammie  McGovern
    Lançamento: 2015
    Páginas: 336
    Gênero: Jovem Adulto / Romance
    Editora: Galera Record

    Sinopse: Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos.Amy tinha uma eterna fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma debilitante deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa.À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou.E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava (ou sabe definir), eles percebem que falam tudo um para o outro... exceto o que mais importa.
    Bom dia, como vão? A resenha desse livro está um pouquinho atrasada, mas antes tarde do que nunca, não é? Quando eu comprei esse livro, logo me apaixonei pela capa e estava louca para ler. O que eu achei que seria era uma leitura agradável meio clichê sobre dois amigos que se amam (ao menos foi o que pensei) se tornou uma leitura responsável, daquelas que te fazem pensar horas e horas a fio sobre sua vida e como você leva ela. O meu conceito sobre o livro mudou completamente quando descubro que Amy tem uma doença que restringe seus movimentos, por isso ela tem que usar um andador e um dispositivo como um computador para que pudesse se comunicar com as pessoas. Matthew além de ser muito anti-social tem problemas com TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), mas é algo que ele ainda não percebeu e é com a ajuda de Amy que ele descobre que sofre do transtorno.

    Amy, que é uma garota muito inteligente, resolve escrever uma redação superficialmente otimista em relação a sua vida para um trabalho da escola. Matthew assim que ouve Amy ler a redação a todos na escola não consegue acreditar que ela pode ser feliz em meio a tantos problemas e limitações que sua doença lhe trouxe. Quando Matthew cria coragem e diz tudo o que pensa para Amy sobre sua redação, ela percebe que ele realmente pode ver ela por trás da fachada que ela criou e é assim que os dois iniciam um caminho que juntos irão trilhar ao longo do livro.
    ”E ali estava ela outra vez, a garota mais azarada que ele era capaz de imaginar, dizendo que se sentia uma garota de sorte? Tinha que ser fingimento.”

    Amy sempre notou Matthew tendo suas crises de TOC - ele vai ao banheiro diversas vezes ao dia para lavar as mãos, tem mania de limpeza, bate nos armários da escola etc -. Decidida a se tornar amiga dele, ela pede para a mãe dela criar uma espécie de programa de emprego para alunos selecionados da escola dela que passarão a ser como um "enfermeiro particular", ajudando-a na escola como carregar seus livros e ajudá-la a comer e assim ela também pode fazer mais amigos já que ela também é bem anti-social. Mas querendo exclusivamente que Matthew entre nessa lista de possíveis enfermeiros, ela pede para sua mãe que o coloque como candidato apesar que sua mãe vai contra.

    Falando um pouco sobre a mãe da Amy, ela não gosta nenhum pouco do Matthew. Ela é muito autoritária em relação a doença da filha, sempre restringindo as coisas que ela quer fazer, e acredita que Matthew com seu problema de TOC não é boa influência para Amy. Por isso, ao longo do livro, ela sempre arranja um jeito de implicar com ele, fazendo o garoto se sentir mal.


    Ao longo do livro, Amy e Matthew criam uma verdadeira amizade. Ela ajuda ele com as crises de TOC (que no começo eram bem sérias porque ele não acreditava que tinha) e ele a ajuda a carregar os livros, mochila etc. O importante nesse livro é justamente essa amizade que os dois criam porque ambos tem problemas e precisam aprender a lidar com eles. 

    Com o tempo, ambos acabam apaixonados um pelo outro mas Matthew ainda não sabe realmente o que sente por Amy e fica muito confuso em relação a seus sentimentos por ela já que ele nunca havia sentido isso por ninguém. Isso me enraiveceu um pouco porque a Amy é muito segura de que gosta dele e só não se declara antes para ele porque tem medo da reação dele, fazendo a história enrolar um pouco mais. Ou seja, Amy sabe o que quer e quando quer. A personalidade dela no livro inteiro é muito forte e mesmo passando pelos problemas da doença, ela não se deixa abater.
    “ – Ele não vai me magoar. Ele é o meu melhor amigo.  – Esse é o problema Aim. Você quer mais do que isso não é? Você não quer ser só amiga dele.”
    Acontece que em meio ao fim do ano, Amy acaba entrando na faculdade e Matthew ainda não se decidiu se queria ir ou não. A separação dos dois é um baque forte na amizade deles e em seus sentimentos e com alguns probleminhas a mais, os dois acabam parando de se falarem. A amizade dos dois está extremamente abalada e com a distância tudo piora. 

    Além disso, alguns acontecimentos são importantíssimos para o fim do livro e para a tomada de decisão da parte de ambos. O amor deles, a amizade e todo o futuro dos dois está em jogo e eles precisam escolher no que acreditam e no que querem realmente para suas vidas. Não vou contar mais porque senão perde a graça, mas o final é completamente surpreendente e quanto mais vai chegando ao fim, mais fiquei com medo de ler o que eu não queria e acabar me decepcionando no final.

    O amor que Matthew nutre por Amy é incondicional e é tão lindo de ver que faz você suspirar enquanto lê suas narrativas de insegurança ou ciúme. É tudo muito fofo e ao mesmo tempo muito trágico. Amy & Matthew com certeza é um dos livros mais incríveis que já li justamente porque não trás somente um romance clichê new-adult, mas trás observações incríveis sobre a vida com um enredo inovador e cenas de arrasar o coração de quem leu. É simplesmente F-A-N-T-Á-S-T-I-C-O!
    “Era por isso que ele amava Amy, se é que a palavra amor podia ser aplicada a alguém que ele temia tocar e para quem as vezes sequer gostava de olhar.”


    Comentário(s)
    2 Comentário(s)
    camila 11.4.16

    Oi Mika, seu blog é muito lindo! Parabéns!!
    Eu sou louca para ler este livro, sempre leio resenhas com ótimas qualificações e adorei ler a sua..

    Beijos Mila
    Daily of Books

    Miriã Mikaely 11.4.16

    Obrigada Mila. O livro é muito bom mesmo, não vai se arrepender de ler!
    Beijos

    Tecnologia do Blogger.