[Resenha] Rich e Mad, de Willian Nicholson @Galera Record

Título: Rich e Mad
Autor: Willian Nicholson
Lançamento: 2015
Páginas: 304
Gênero: Jovem Adulto
Editora: Galera Record

Sinopse: Um drama sobre problemas reais, a envolvente história do primeiro amor, da primeira relação sexual e tudo entre um e outro. Um olhar contemporâneo e sincero sobre o primeiro amor e a descoberta da sexualidade. Mad sonha em se apaixonar perdidamente e em meio a encontros e desencontros acaba descobrindo que sua cara metade é o amigo Rich.
Esse foi um livro que me impressionou bastante e de uma forma muito boa e é daqueles que faz você querer suspirar de tão fofinho que é. Confesso que estava um pouco receosa de ler porque os comentários que vi sobre ele não eram tão bons quanto eu desejaria e por isso não estava muito animada em lê-lo. Mas o livro me impressionou bastante e eu acabei gostando de fato do enredo da história. É um livro que parece descomplicado no começo da narrativa e no meio da história você percebe que há uma gama de problemas envolvidos, então a leitura deixa de ser tão simples e você vê que o autor realmente se empenhou em criar o livro de uma forma que te cative no final.

Conhecemos dois personagens principais: Rich e Mad. Ambos tem algo em comum: eles querem se apaixonar. O que eles não sabem é que se apaixonar é muito fácil, mas ser correspondido é o mais difícil. O livro é narrado em terceira pessoa e tem os pensamentos dos dois personagens. Mad é uma garota bonita mas é aquele pessoa onde não tem curvas definidas ou aquele rosto que os meninos gostam e param para olhar. Sua irmã mais velha, Imo, é exatamente assim e por isso sempre consegue o namorado que quer. Mad está com 17 anos e resolve que quer viver sua primeira experiência amorosa com Joe: o "queridinho" da escola. 
"As pessoas pensam que amar é simples, mas achar o objeto certo para amar ou para retribuir seu amor é difícil."
Rich tem menos jeito com as mulheres que qualquer outro garoto. Pequeno e mais sensível que o normal, ele nutre uma paixão platônica por Grace, uma das melhores amigas de Mad. Tudo que quer fazer é se declarar mas tem medo de ser rejeitado por ela. Ele é aquele típico menino nerd que é narrado e tratado como desinteressante mas que nós sabemos que é bem fofo e bonitinho e acaba nos encantando de uma forma ou outra. (Não sei qual o problema dos Estados Unidos acharem a maioria dos nerds feios sendo que na verdade são chocantes de tão lindos).

Enfim, Mad vai em busca de seu "primeiro amor" e acaba entrando na peça de teatro da escola para tentar ficar perto de Joe. Porém, o menino já tem uma namorada, Gemma (que me pareceu ser uma mosca morta em boa parte do livro). Mad acha que não tem chance alguma, só que um dia ela começa a receber e-mails de Joe onde ele diz que quer se separar de Gemma e que quer ficar com ela. E ela conta tudo o que acontece para suas amigas, Cath e Grace, achando que está vivendo o grande sonho de amar e ser amada também.

Rich é mais delicado e pensa muito no passo que vai dar. Acaba surgindo a oportunidade de convidar uma amiga para o octogésimo aniversário da avó dele e ele resolve convidar Grace através de uma carta (romântico, não?) já que não tem celular; O que ele não imagina é que a garota iria se enfurecer com aquilo e humilhá-lo, além de chamá-lo de Aberração Gay, afinal, ele é visto como um nerd pela escola inteira e quem iria querer sair com ele? (EU!). Mad vê o momento exato que isso acontece e se compadece de Rich, mas até aí, nossos dois personagens principais não se conhecem exatamente bem.

Uma gama de coisas vai acontecendo e acaba que o romance de Joe e Mad não da certo. Desiludida, ela começa a conversar mais com Rich e acabam virando confidentes. Em meio a alguns problemas pessoais na casa de cada um que são narrados com toda a paciência do mundo, os dois vão conversando e acabam se beijando. É algo mágico para ambos, típico de primeiro amor adolescente e ambos resolvem "namorar e praticar". É bonito de ver a inocência dos dois porque você percebe que há algumas pessoas que realmente se sentem inseguras em relação ao primeiro amor, primeiro beijo e etc. Ás vezes dava risada com os diálogos sincero de ambos.
"Apaixonar-se significa pensar em alguém o tempo todo. Apaixonar-se significa querer a felicidade do outro mais que a própria. Apaixonar-se significa querer que alguém te conheça como você realmente é."
O livro aborda muito o assunto sexo, como as dúvidas, os medos e o momento em si, mas é só até aí mesmo. O sexo acontece de fato já quase no final do livro e é bem detalhado, o que achei importante caso alguém que tenha as mesmas dúvidas fosse ler o livro, se sentiria até um pouco mais entendido do assunto. Em meio a muitas reviravoltas que o livro dá, acabei por gostar de personagens e depois odiá-los e vice-versa. É uma teia de aranha, mas o principal tema sempre é acobertado: amor e todas as suas formas. 

Adorei o livro gente. Eu confio que quem ler irá gostar também apesar de ser um estilo jovem adulto. Achei todas as partes interessantes, não teve uma que não faltasse e acho que dá uma boa leitura!


0 comentários

Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post.
Aproveite e deixe seu link, para que eu possa retribuir sua visita! ❤