[Resenha] Trilogia Cinquenta Tons de Cinza, de E.L James @Intrínseca

Fonte: Blog Alternativa Aleatória
Título: Cinquenta Tons de Cinza / Cinquenta Tons mais Escuros / Cinquenta Tons de Liberdade
Autor: E.L. James
Lançamento: 2012 
Páginas: 480 / 512 / 544
Gênero: Erótico / Romance / Literatura Estrangeira
Editora: Intrínseca
Sinopse: Quando Anastásia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja - mas em seus próprios termos.Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso - os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família -, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos.
Essa resenha pode conter spoilers dos livros*

Recentemente fiz a resenha sobre Cinquenta Tons de Cinza, o primeiro livro da trilogia no blog Brilliant Diamond (leia a resenha aqui)Mas com os inúmeros comentários negativos e positivos sobre a obra, eu trouxe então uma resenha da trilogia inteira para vocês. O livro dispensa sinopses, já que virou um fenômeno mundial, seja pelo tema abordado ou pela polêmica que causou. Tanto é que até hoje muitas pessoas somente leram o primeiro livro e continuam a falar mal da escrita de E.L. James. 

A história narra a vida de Anastásia Steele, no ponto de vista da mesma. É uma narrativa rica em detalhes e que me chamou muito atenção, pois gosto da dedicação dos autores em descrever cenários, cenas e diálogos mais elaborados. A vida da moça que acaba de se formar em Literatura Inglesa muda quando ela entrevista o jovem rico empresário Christian Grey. Por ela ser uma moça tão "incomum" - meio sem graça -, ele acaba se interessando por ela. A única diferença que essa história contém de outros demais livros eróticos é que Christian possui um lado sadomasoquista, que gosta de infligir dor a mulheres e por isso ele sempre procura parceiras que tenham um lado "submissa", coisa que Anastásia descobre que pode vir a ter.

O primeiro livro da série aborda mais a temática do tema em si, onde E.L. James vai nos explicando mais sobre o assunto, amaciando nossas mentes para que começássemos a entender um pouco mais a história e o porquê da escolha do tema. Não poderia deixar também de dar enfoque na vida de Christian, que sofre de traumas de infância e na jovem Anastásia, que além de ser virgem, passa a descobrir mais sobre si mesma, sobre seu corpo e relacionamentos. Digamos que esse primeiro livro retrata mais o sexo puro e o lado mais prático do sadomasoquismo. Somos banhados com cenas onde a autora explora a temática muito bem, ás vezes de forma muito peculiar, e talvez por isso que o livro não tenha sido tão impactante para algumas pessoas. O que esperar de um livro onde só se fala em sexo?

Apostando mais ainda, o segundo livro da série chega para mostrar que a trilogia não se baseia somente em sexo e cenas quentes. Cinquenta Tons mais Escuros, fala sobre a descoberta dos sentimentos de Anastásia por Christian e vice-versa. Vemos que a personagem principal procura se adequar aos padrões que Christian definiu e ao mesmo tempo, tentar trazer ele para os padrões dela. Christian começa então a ver Ana com outros olhos e tenta engatar com ela um relacionamento. A narrativa fala sobre sentimentos, primeiras vezes e aborda um pouco mais sobre o trauma de Christian, dando ênfase para o terceiro livro da série.

No terceiro livro então, Cinquenta Tons de Liberdade, vemos um Christian quase recuperado de seus traumas, casado com Anastásia e aparentemente feliz. Nada podia piorar em sua vida. Mas como toda boa trilogia erótica, um bebê está a caminho e isso desespera Christian. Passamos então do erótico, para o romance e agora estamos na separação e no suspense. Além de estar esperando um filho, Ana também sofrerá as implicações de ameaças de um vilão que somente é abordado de maneira mais intensa nesse terceiro livro. É quando a real ação começa, onde nos deparamos com o drama e o suspense, o medo das coisas darem errado. Foi esse o livro que mais me chamou atenção e o que gostei mais. Apesar do conteúdo falar sobre sexo, nós nos deparamos com temas importantes, porém amenos como família, segurança, o casamento. Foi aí que E.L James me conquistou de vez e fez eu amar a série Cinquenta Tons.

Mesmo que haja inúmeras críticas sobre o assunto, Cinquenta Tons de Cinza acabou mudando minha vida de uma forma ou outra, assim como disse no post desse Top 10 Terça-feira, O livro me fez ver o quanto sexo é tabulado pelas pessoas e o quanto nós somos vítimas de nossos próprios medos e costumes de não querer provar o novo. É importante ressaltar que o livro não foi somente uma história escrita para vender e lucrar, mas também a autora quer nos mostrar como a sociedade acaba por discriminar gostos incomuns, fazendo com que tenhamos certo preconceito em relação aquilo. E.L. James trouxe em suas páginas um aprendizado, um assunto que merece ser visto de uma melhor forma e claro, uma história que acaba por impactar de várias maneiras as pessoas que a leem e acabam se identificando.
 Avaliação da Trilogia:
 Fonte: Fashionismo

9 comentários

  1. Olá!!

    Primeira vez que visito seu blog , seu estilo de leitura é muito parecido com o meu :)

    Adoro livros hots! e foi através dessa série que comecei a gostar desse gênero.

    Ótima resenha!!

    Beijos
    www.pintandoasletras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jéssica. Cinquenta Tons foi o primeiro livro erótico que li, adorei ele! Ainda bem que você também gostou. Seu blog é lindo, seguindo ele!
      Beijos

      Excluir
  2. Adorei a foto e a resenha em conjunto da trilogia.
    Confesso que não gosto de livros hots, para quem gosta certamente vai adorar

    http://revelandosentimentos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Olha não vou mentir, confesso que não tenho a mínima vontade de ler essa trilogia e provavelmente nunca lerei porque não me acrescentará em nada. Mas é interessante ver quando esse tipo de livro de fato tem importância =]

    ❥Blog: Gordices Literárias

    ResponderExcluir
  4. Lindíssimas fotos! Gostei da ideia da resenha da trilogia completa. Mas são livros que nunca me chamaram a atenção, sabe?

    Beijos,
    Postando Trechos

    ResponderExcluir
  5. Não gosto de livros hots, mas gostei muito da sua resenha! Que bom que ele te fez refletir . De livros assim devemos observar, pegar os conselhos e adquirir mas sabedoria para nossa vida ... Ha-Ha
    Um beijo ;*

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito das suas colocações sobre a trilogia. Eu particularmente gostei mais do primeiro livro e achei o terceiro até desnecessário. O primeiro livro me mostrou um mundo que mesmo com a minha idade, ainda não conhecia. Depois do livro fui pesquisar sobre o tema e verifiquei que a prática do BSDM é consensual e um estilo de vida. E na verdade a autora até "romantizou" a pratica. Depois, nos outros livros ela passou para o romance propriamente dito, que para mim poderia muito bem ter terminado no segundo. Mas é uma trilogia que não me arrependo de ter lido e até tenho GREY aqui em casa para ler, só não tive tempo ainda.
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir
    Participe do Sorteio dos 3 livros da Coleção Signos do Amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gi. Obrigada pelo recado! Como eu sou mais romântica, gostei mais do terceiro livro mas acredito que também foi desnecessário. No mais, gostei de toda a série! Beijão.

      Excluir

Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post.
Aproveite e deixe seu link, para que eu possa retribuir sua visita! ❤