[Resenha] Cela sem portas - Marcel Trigueiro

Portador de uma forma rara de esclerose, Miguel consegue mover apenas os olhos, pálpebras e parte da mão direita, o que lhe permite ter um mínimo de independência para portar-se normalmente no mundo cibernético e sair-se relativamente bem na escola. Como ontem foi dia dos professores, Miguel redigiu e sua mãe transcreveu de próprio punho uma pequena carta que pretendem entregar à professora preferida dele, numa singela homenagem, assim que ela chegar para dar aula.
Nessa mesma manhã excepcionalmente quente de primavera, pouco mais de quinze pessoas são feitas reféns por dois homens armados dentro de um ônibus próximo à Lagoa Rodrigo de Freitas. Tirar as vítimas das garras daqueles sequestradores deveria ser competência exclusiva das forças policiais cariocas. Entretanto, depois que a Polícia Civil começa a agir e a imprensa monta seu aparato para que todo o país fique ciente do que está acontecendo, uma fatalidade faz com que o agente federal de Inteligência Matheus Erming entre na operação. A partir daí, a situação vai ficando cada vez mais desesperadora para todos os que acompanham o sequestro.
Para Miguel e sua mãe, que assistem a tudo na escola, o desespero e a sensação de impotência são amplificados quando se deparam com uma dura realidade e uma possibilidade talvez não tão remota. A realidade: a professora não chegará a tempo para a aula. A possibilidade: que aquela carta jamais seja lida.
Romance Policial | 324 páginas | Publicação Independente | Esse livro foi cedido para resenha em parceria com o autor 

Depois de muita enrola, enfim trago a resenha do livro Celas sem portas, do autor parceiro Marcel Trigueiro. E já digo antes o quanto me arrependo de não ter lido esse livro antes. Romances policiais não são meu gênero favorito, mas a partir do momento que você embarca na história criada pelo autor, é impossível não devorar o livro para saber o desenrolar dos acontecimentos.

Seria mais um dia normal de trabalho para Ângela, a professora de Física de uma escola para alunos especiais. Dentre estes alunos, existe Miguel, um garoto adorável porém portador de uma doença rara que acabou fazendo com que todo o seu corpo se imobilizasse, exceto seus olhos e seus dedos, que através de um sistema de computador são os intermediários para que ele possa comunicar-se com sua família e outras pessoas. 

Ângela porém não contava com o que iria acontecer assim que entrasse dentro do ônibus. Se ela tivesse saído de casa mais cedo ou segundos mais tarde, ou vindo de carona com seu marido Lucas, talvez ela nunca tivesse ficado sobre a arma de dois sequestradores naquela fatídica manhã de primavera. Eles fazem reféns os passageiros e exigem algo em troca: a soltura de Cartola, o maior chefe do Quarto Comando, uma das facções que controlam o tráfico de drogas no Rio.
Foto por Leitora Encantada
Policiais militares, civis e até federais, incluindo agentes, inspetores de Inteligência, negociadores e todos os níveis de quarteis possíveis entram em cena para evitar que o pior aconteça. Porém, tudo leva a crer que existe muito mais por detrás desse simples sequestro. O que realmente iria acontecer assim que Cartola fosse solto? Será que esses reféns sairiam daquele ônibus com vida? E Ângela, a querida professa de Miguel, será que ela sobreviveria a tanto terror?

Não tenho palavras para expressar o quanto essa obra me surpreendeu do começo ao fim. Marcel construiu um romance policial digno de nota, realmente maravilhoso, onde vários personagens entram e saem de cena, todos juntos formando um curioso e gigante quebra-cabeça. Por falar nos personagens, há tantos que é impossível lembrar de todos. O mais legal é que mesmo tendo tantos assim, isso não dificulta a leitura e nem confunde o leitor. Assim que você se habitua as trocas de personagens, você começa a pensar e a entender a mente de quem está narrando no momento. Dentre estes, os mais importantes para mim foram Miguel, Matheus, Cristina, Ângela e Juarez. Além disso, eu consegui criar uma empatia forte por todos eles, mesmo que o livro não se aprofunda em nenhum. Tudo o que sabemos realmente é quem são e em qual cargo trabalham, mas juntos, eles fazem a história valer um pouco mais a pena ser lida.

Quanto a narrativa, eu diria que ela foi bastante técnica. Fiquei impressionada por conter várias passagens de texto onde os personagens me explicavam alguma coisa em relação a tecnologia utilizada por hackers e crackers, ou até mesmo como é feito o trabalho de um legista. Acredito que o autor pesquisou muito os termos corretos para dar nos um banho de enciclopédia nessa história. Sem contar que são tantos departamentos da polícia envolvida que eu sequer sabia que existiam, que eu fiquei eufórica para conhecer mais sobre o que faziam cada um.
Foto por Leitora Encantada
Acho que nunca poderia dizer que Cela sem portas fora maçante. Demorei para pegar o ritmo? Sim, mas isso deve-se ao fato do gênero não ser um dos meus preferidos, fora isso, a história deixa o leitor tenso a todo momento. É impossível saber o que os personagens vão fazer e cada descoberta deixa o nosso coração ansioso para desvendar quem é a mente criminosa por detrás daquilo tudo. Nem preciso dizer que o final foi de arrasar. Quando você cria um conclusão sobre a história, o autor muda tudo e quando você acha que enfim acabou, ele dá dois tapas na sua cara e mostra quem tem muito mais por vir. Simplesmente emocionante e cativante!

Eu amei a arte que usou vários elementos do livro para criar a capa, que convenhamos, ficou linda. A diagramação é simples e contém apenas uns errinhos de digitação, nada que incomode ou atrapalhe a leitura.

Cela sem portas foi um livro maravilhoso, que me prendeu de uma maneira impressionante. É notável o talento do autor ao escrever uma história cheia de plot twist, onde o leitor não sabe e não desconfia o que vai acontecer. Um livro indicado a todos os amantes do gênero e também a aqueles, que como eu, não gostava mas passou a adorar!


6 comentários

  1. Oi Miriã, tudo bem?
    Faz um tempinho que não leio romance policial, e voc~e falou tão bem desse que deu vontade de ler também, ainda mais se tratando de autoria nacional né.
    Beijokas
    [SORTEIO] Aniversário de 1 Ano: Livro - Perdida
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Priscila. Acho que você deveria dar uma chance, ainda mais porque é acostumada a ler o gênero e justamente por ser nacional, assim você ajuda ainda mais o autor.
      Beijo

      Excluir
  2. Oi Miriã, tudo bem?

    Não conhecia o livro e nem o autor. Romance policial tb não é meu gênero favorito, mas pela resenha parece ser um livro muito bem escrito. Se vc gostou é bem capaz que eu goste tb rsrsrss

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi. Como temos gostos parecidos, acho que você iria amar o livro assim como eu. É uma obra maravilhosamente bem escrita.
      Beijo!

      Excluir
  3. Oi, Miriã!
    Nunca vi nada sobre esse livro, mas fiquei bem curiosa para conhecer um pouco mais sobre ele depois de ler sua resenha. O livro parece ser eletrizante e cheio de reviravoltas e, apesar de não ler muito o gênero adoro quando a narrativa me conduz de forma que sou surpreendida no final! Adorei a resenha!
    Beijos,

    versosenotas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bárbara. O livro foi lançado em e-book e o autor disponibilizou alguns exemplares físicos para divulgação, e eu fui uma das felizardas. O livro é realmente eletrizante rsrs é tudo muito tenso e ao mesmo tempo arrebatador. Você quer saber logo como as coisas irão acabar, o tempo está correndo. É uma história mirabolante, e se você não lê muito o gênero, acho que dá pra começar com essa obra.

      Excluir

Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post.
Aproveite e deixe seu link, para que eu possa retribuir sua visita! ❤