2323 Sobreviventes do caos - Bianca Gulim | Resenha

Em um mundo distópico, no ano 2323, após ser quase dizimada por um vírus mortal e pela guerra, a raça humana tenta se reestruturar. Com poucos recursos disponíveis, a humanidade encontra-se dividida em grupos que vivem de acordo com regras impostas por seus líderes.Celine cresceu nesse ambiente hostil e se tornou líder dos guerreiros de seu povo após a morte de seus pais. Seu grupo se envolve em diversos conflitos e a jovem precisa tomar as decisões que julga corretas para garantir a sobrevivência de seu povo, enquanto se envolve num forte romance, do qual tenta se manter afastada.
Aos poucos, ela descobre mais sobre as pessoas que a cercam e percebe que, quando se trata de lutar pela própria vida, poucos são previsíveis. Só os mais fortes sobrevivem, e os mais fortes normalmente são os mais crueis. Nesse ambiente, o mais difícil é saber quem realmente está ao seu lado e quem é um traidor.
Será Celine capaz de manter sua benevolência frente à tanta violência que a rodeia? Seu coração terá espaço para a paixão, cercado de tanto ódio?
Prepare-se para muita adrenalina e romance nesse primeiro livro da trilogia 2323. Você vai perder o fôlego!

Distopia | 457 páginas | Editora Independente | Este livro foi cedido em parceria com a autora

O mundo que conhecemos não existe mais. Depois da terra ser parcialmente dizimada por um vírus terrível, poucas pessoas sobreviveram ao grande caos que se abateu. O ano agora é 2323, e com poucos recursos para a sobrevivência, a raça humana se dividiu entre alguns povos: a fortaleza, que possuem mais recursos como armas e tecnologia, e que é fielmente contra as práticas de guerra; o povo da areia, que é comandado por um líder louco que quer a perfeição, possuindo milhares de homens em seu exército; os aligortes, um povo bruto e terrível mas que possui pouco conhecimento e por último, o povo onde vive Celine, pessoas que também só querem a paz mas que farão de tudo para se defender, inclusive matar e se aliar aos aligortes.

Celine e seu irmão Julio são líderes do povo. Ela é uma excelente estrategista e consegue lutar muito bem, mas após terem sido traídos pelos aligortes, Celine se verá em uma busca desenfreada para salvar seu povo daqueles que lhe querem fazer mal. Juntamente com alguns desertores do povo da areia, ela irá juntar forças para que isso aconteça, mas parece que a falta de informação nesta jornada não será favorável. Há muitos mistérios que Celine precisará desvendar. Por que os aligortes resolveram fazer uma aliança com o povo da areia? E principalmente, o que o povo da areia iria ganhar com essa aliança? Junte-se aos sobreviventes do caos e se surpreenda com esta história.

MINHA OPINIÃO
É complicado tentar falar sobre uma trama sem soltar nenhum spoiler, ao mesmo tempo que ela é recheada de detalhes. O fato é que eu estava com um receio enorme de ler essa obra e não gostar, já que muitos sabem que não sou fã de distopias, mas a autora consegue escrever de uma maneira muito cativante e traz tantos elementos e surpresas ao longo da leitura que é impossível desgrudar os olhos.

A narrativa é feita em primeira pessoa pela Celine. Eu tive alguns problemas com a personalidade dela: oras gostava porque me identificava com seu altruísmo e sabedoria, ora me irritava porque ela se achava demais. A autora faz com que a personagem principal consiga fazer diversas coisas, se tornando a aquela supergirl que todos querem ser, mas ao invés disso fazer com que eu gostasse cada vez mais dela e a achasse fodona, só conseguia pensar no quanto ela era arrogante e metida. Sério, tudo a Celine era capaz de fazer, parecia até coisa de outro mundo que alguém pudesse ser tão "perfeitinha". Fora isso, eu gostei muito da construção dela como personagem. Nada daquelas garotinhas bestas que sofrem demais ou não sabem reagir diante da crueldade, aqui temos uma personagem forte, que se alia a raiva e a vingança para tomar suas decisões, e principalmente a vontade de proteger seu povo. É claro que ás vezes a Celine é muito levada pelas emoções e sentimentos, mas isso só fez salientar o quanto ela é humana como a gente.

Eu gostei também bastante dos outros personagens. São muitos, mas alguns especificamente merecem destaque, principalmente o Max, par romântico (ou não) da Celine. Ele tem aquela pegada de bad-boy e aquele mistério envolto dele que ninguém conhece, o que me agradou muito, além de ser ciumento, o que o torna fofo. Achei a química do casal muito boa, e torço muito por eles. Já o Luke, o possível outro par romântico da história, não me agradou muito. Ele faz mais o estilo bobinho, carente e o fato dele mal conhecer a Celine e já gostar muito dela, ao ponto de se declarar, me irritou.

Outras pessoas como Tereza, Darion, Nyfer, Líria, Arthur e etc, são bastante importantes para o andamento da história e imagino que muitos desses ainda mostrarão do que são capazes nos próximos livros. O livro todo é muito bem escrito, eu nem senti que estava lendo uma distopia, o que me agradou muito. Há várias perguntas não respondidas e mistérios que precisam ser desvendados para que Celine consiga alcançar a vitória, e quanto mais as revelações acontecem, mais eu ficava de boca aberta. E que final! Eu já imaginava possível teoria na minha mente, mas nunca imaginei de fato que fosse acabar daquela forma, ou seja, imagino que o segundo volume esteja de dar brilho nos olhos.

A escrita da autora é leve, informal - diversas vezes encontramos xingamentos nos textos - e simples, ou seja, dá pra ler em uma sentada só. Além disso, foi incrível a maneira como ela criou esse mundo pós-apocalíptico, um pouco parecido com outras obras, mas com suas peculiaridades. Eu queria muito que pudesse ser feito um mapa dos povos da história, para que o leitor consiga entender perfeitamente onde fica cada um. E mesmo tendo um preconceito com as distopias, eu gostei muito da obra e não vejo a hora de ler a continuação. Então se você gosta de livros do gênero, e ainda quer dar chance aos nacionais, o livro da Bianca Gulim não vai te decepcionar.

10 comentários

  1. Oie Miriã!
    Que maravilha ler o seu texto, eu adorei, muito obrigada!
    Fico super feliz por saber que você gostou de Sobreviventes do Caos, principalmente por você não curtir muito esse genêro. Espero ter contribuido para você mudar de ideia, rs.
    Fico muito contente por essa parceria e torço para que ela se estenda por muito tempo.
    Ainda esse ano tem a sequência de Sobreviventes do Caos e vou adorar mandar pra você em primeira mão!!
    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bianca. Muito obrigada por ter cedido e confiado a obra mesmo sabendo que eu poderia não gostar, e caramba, me surpreendi bastante! Espero poder ler mais sobre Celine e os guerreiros.
      Beijo!

      Excluir
  2. Oi Mi! Que bom que vc curtiu o livro, eu ainda não conheço a autora, mas parece ser um universo bem criado e bem explorado!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mi. Acredito que você especificamente gostaria muito da obra, tem a sua cara!

      Excluir
  3. Oi Miriã, tudo bem?
    Praticamente como sempre não conhecia o livro rsrs
    eu gosto de ler bastante, mas menina você arrasa é show,
    voltando também não sou muito chegada a esse gênero,
    mas como você mesma falou que se surpreendeu possa ser que eu goste.
    Suas resenhas como sempre são maravilhosas, amei.
    Te espero no meu blog!
    Beijos *_*
    Desvendando Segredos | Facebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Talyta. É sempre bom sair da zona de conforto e se surpreender, né? Eu leio bastante mas me surpreendi por realmente gostar da obra.

      Excluir
  4. Miriã! Amei seu blog!
    Me cativou a forma como escreveu a resenha!
    Não conhecia e amei também ter divulgado uma publicação independente!
    Resumindo, amei tudo!haha
    Beijos
    Resenhando por Marina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marina. Muito obrigada pela visita, é sempre um carinho enorme que sinto ao ler esses comentários fofos. Eu sempre leio alguns livros independentes porque dá pra ajudar muito na divulgação do trabalho dos autores.

      Excluir
  5. Eu nunca consigo identificar esse livro pelo título, e sim pela capa a la jogos vorazes hahaha poxa, que chato a protagonista ser convencida assim! Já odeio personagens que tem de tudo e mais um pouco, imagina os que se acham por conta disso ainda. Mas ainda bem que apesar disso, a história te cativou, mesmo sendo um gênero que você não é lá muito fã!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol. A protagonista me irritou um pouquinho, mas no geral gostei muito dela porque ela é daquelas bem decididas, que não se rendem fácil, ótimas para o empoderamento feminino.

      Excluir

Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post.
Aproveite e deixe seu link, para que eu possa retribuir sua visita! ❤